Kindle, e-books e o futuro da White Wolf (e dos RPGs?)

Quem acompanha o @wodbrasilnews no Twitter já sabe que ontem chegou o meu Kindle.

E o que isso tem a ver com o Mundo das Trevas, a White Wolf e RPGs? Tudo e nada ao mesmo tempo.

Por enquanto a White Wolf anda quieta, sem muitas novidades reais e apenas algumas indicações de que direção eles estão tomando. E a cada nova especulação, declaração críptica de desenvolvedor e vídeo de convenção, fico mais convencido de que o futuro deles passa por uma enorme virada em direção ao conteúdo digital e novas formas de oferecer conteúdo impresso, também.

O Kindle pode não ser ideal para o modelo de e-books que a WW vem oferecendo, mas bem ou mal é um baluarte da direção que o mercado editorial como um todo está tomando – e no fundo, o que a WW está fazendo é se preparar para surfar na onda quando ela chegar de vez, em vez de ser engolida por ela (o que vai acontecer, sem dúvida, com muitas editoras, de RPG ou não).

E depois de vencer a desconfiança natural do uso de um e-reader (ou você achava que era só você que preferia “a sensação única de se folhear um livro”, malandro?) e testá-lo um pouco, eu agora digo sem medo:

O mundo vai migrar sim para os e-readers, e em pouco tempo. E isso inclui você. Tudo aquilo que supostamente “falta” na experiência de se ler em um e-reader está sendo superado, passo a passo, e em poucos anos o livro físico vai se tornar o equivalente literário ao LP: ou seja, sua única “vantagem” será o tal prazer “único” (e amplamente nostálgico) de se manusear. O que parece um obstáculo insuperável… Até você sentir com as suas próprias mãos todas as outras vantagens de se usar um e-reader, desde a economia de espaço (e dinheiro!) até uma relação mais interativa com o conteúdo do livro, como buscas, inserção de notas, abrir o livro automaticamente na última página lida mesmo sem ter usado um marcador, etc.

De resto, o dispositivo eletrônico de leitura vai levar todas as vantagens. O Kindle já está perto, na verdade. Só falta mesmo exibir páginas coloridas e ter uma tela maior. O resto foi resolvido. Se tiverem perguntas nesse sentido, podem mandar bala nos comentários que eu respondo.

 

P.S.: até amanhã, devo encerrar uma entrevista com Eddy Webb, desenvolvedor de Produtos Alternativos da White Wolf, sobre conteúdo digital, o futuro da companhia e assuntos afins. Não há nada de revelador, infelizmente – a empresa ainda está bem fechada quanto ao que está sendo preparado para o ano que vem e depois – mas ainda assim serve para captar o estado de espírito quanto às possibilidades nesse campo. Me dêem alguns dias para traduzir e editar o negócio, e fiquem de olho no blog, que ela aparecerá em breve.

Anúncios

Um pensamento sobre “Kindle, e-books e o futuro da White Wolf (e dos RPGs?)

  1. Luiz Mello disse:

    Viste isto? http://info.abril.com.br/noticias/mercado/liminar-permite-comprar-kindle-sem-imposto-16122009-38.shl

    Aparentemente, é uma boa notícia. Mas não sei. Se essa decisão estabelece um precedente, meu medo é que todo e qualquer livro passe a ser taxado (como o governo já ameaçou fazer mais de uma vez no passado). Aí, ficaria pior que no começo.

Os comentários estão desativados.